International Psoriasis Council

Advancing Knowledge. Improving Care.

Advancing Knowledge. Improving Care.

Novos Avanços e Direções na Psoríase Pediátrica

Kelly Cordoro, MD
Professor Associado de Dermatologia e Pediatria
Universidade da Califórnia, São Francisco
São Francisco, Califórnia, Estados Unidos

TERMOS IMPORTANTES A CONHECER

  • Biológicos são drogas desenvolvidas para tratar doenças através de organismos vivos ou components de organismos vivos oriundos de fonts naturais como animais, humanos ou microrganismos. Atualmente, existem vários biológicos para crianças com psoríase, além de outras opções terapêuticas. Infelizmente, nem todas as drogas estão disponíveis nas diferentes regiões do mundo.
  • Comorbidades caracterizam a presença de duas ou mais doenças  em um paciente ao mesmo tempo. Mais pesquisas são necessárias para entender como as comorbidades surgem em crianças com psoríase e como métodos de intervenção precoce podem beneficiá-las.

O BÁSICO

Embora a maioria dos casos de psoríase tenha o primeiro pico entre os 20 e 30 anos de idade, a psoríase também afeta crianças. Na realidade:

  • 33% dos casos de psoríase ocorrem em crianças.
  • 2% das crianças em todo o mundo são diagnosticadas com psoríase.
  • Crianças diagnosticadas com psoríase têm quase o dobro da taxa de comorbidades em comparação com crianças sem psoríase.

LINHA DO TEMPO

2017: A Iniciativa de Triagem de Comorbidades da Psoríase Pediátrica (CSI) publica suas recomendações de triagem para crianças com psoríase.

2022: Para revisar a literatura existente e entender melhor o impacto da psoríase em crianças, o IPC (International Psoriasis Council) reúne um pequeno grupo de conselheiros da IPC e colegas no projeto “Carga Global da Psoríase Pediátrica.”

RECENT RESEARCH

Challenges in Noninvasive Skin Biomarker measurements in Daily Practice: A Longitudinal study on skin Surface Protein Detection by the Transdermal Analysis Patch in Pediatric Psoriasis. Schaap MJ, Bruins FM, van den Brink NJM, et al. Skin Pharmacol Physiol. 2022 Oct 6. doi: 10.1159/000527258. Epub ahead of print. PMID: 36202075.

Treatment Goals and Preferences of Pediatric Psoriasis Patients, Young Adults, and Parents. Schaap MJ, Broekhuis SCE, Spillekom-van Koulil S, Groenewoud HMM, de Jong EMGJ, Seyger MMB. J Dermatolog Treat. 2022 Aug;33(5):2527-2533. doi: 10.1080/09546634.2021.1985058. Epub 2021 Oct 8. PMID: 34620033. 

Clinical Decisions in Pediatric Psoriasis: A Practical Approach to Systemic Therapy. Ornelas J, Cordoro KM. Dermatol Clin. 2022 Apr;40(2):145-166. doi: 10.1016/j.det.2021.12.003. PMID: 35366969.

Pediatric Psoriasis: From New Insights into Pathogenesis to Updates on Treatment. Kim HO, Kang SY, Kim JC, Park CW, Chung BY. Biomedicines. 2021 Aug 2;9(8):940. doi: 10.3390/biomedicines9080940. PMID: 34440145; PMCID: PMC8393839.

Pediatric Psoriasis Comorbidities. Kittler NW, Cordoro KM. Skin Therapy Lett. 2020 Nov;25(5):1-6. PMID: 33196156.

A pesquisa sobre psoríase pediátrica aumentou exponencialmente nos últimos anos, à medida que os especialistas focam nessa população pouco estudada.

Como Professora de Dermatologia e Pediatria e Chefe da Divisão de Dermatologia Pediátrica na Universidade da Califórnia, a Dra. Kelly Cordoro, Conselheira da IPC (International Psoriasis Council), está trabalhando para mudar a forma como os dermatologistas veem a psoríase pediátrica.

Os interesses de pesquisa e a experiência profissional da Dra. Cordoro têm se concentrado em compreender melhor, tratar e apoiar crianças diagnosticadas com psoríase. Como membro do grupo de trabalho para a Carga Global da Psoríase Pediátrica, a Dra. Cordoro faz parte da revisão sistemática da literatura existente, além de conduzir e publicar suas próprias pesquisas sobre psoríase pediátrica.

Aqui,  abordaremos as  recentes  publicações  da Dra. Cordoro e discutiremos como essas descobertas podem ser traduzidas em recomendações acessíveis para pais e responsáveis de crianças com psoríase.

Tomando Decisões Sobre o Tratamento

Nenhum paciente é igual ao outro, e nenhum caso de psoríase é igual ao outro. Embora a expressão “psoríase pediátrica” possa dar a impressão de que a psoríase se apresenta da mesma forma em todas as crianças, cada caso é único. Diferentes opções de tratamento devem ser consideradas para cada paciente, com base em uma combinação de fatores.

“Devemos ter uma abordagem flexível em relação aos dogmas”, diz a Dra. Cordoro ao tomar decisões de tratamento. “Não existe sempre um único caminho correto para fazer as coisas. E está tudo bem. Temos que ser pensadores independentes ao tratar a psoríase.”

A Dra. Cordoro recomenda que os dermatologistas considerem os seguintes fatores ao determinar as opções de tratamento potenciais:

  • Tipo de psoríase
  • Gravidade da psoríase
  • Idade da criança
  • Comorbidades
  • Tratamentos anteriores e sua eficácia
  • Possíveis causas genéticas
  • Eventos que desencadeiam as crises
  • Outras características únicas da criança

“Abraçamos muitos preconceitos”, diz a Dra. Cordoro. “Somos inundados com comerciais. Nos dizem como devemos tratar os pacientes. Mas a verdade é que tudo isso pode nos confundir. Temos que lembrar que os medicamentos antigos ainda são bons e que também temos disponíveis medicamentos mais recentes em determinados momentos.”

Comunicando-se com os pais

Com tantas opções de cuidados para psoríase, comunicar-se com um pai ou responsável sobre a melhor opção para a criança é imperativo. A Dra. Cordoro insta os dermatologistas a priorizarem a tomada de decisão compartilhada em relação aos casos de psoríase pediátrica.

“Devemos informar aos pacientes que, diante do vácuo do nosso conhecimento e dos nossos dados, não podemos saber tudo, mas o que sabemos até agora sugere o tratamento A, B ou C”, diz a Dra. Cordoro. No caso de pacientes com psoríase pediátrica, a opinião do pai ou responsável deve ser um aspecto fundamental para determinar qual tratamento pode ser mais adequado para a criança em determinado momento – e esse plano de tratamento provavelmente mudará ao longo do tempo.

Realizar conversas, fazer perguntas e coordenar com outros profissionais de saúde da criança pode permitir que o dermatologista e a família cheguem a uma decisão que seja adequada para cada criança.

Psoríase Pediátrica e Comorbidades

Embora as pesquisas tenham se concentrado na conexão entre psoríase e diversas comorbidades em adultos, ainda há muito a ser compreendido sobre a psoríase pediátrica e as comorbidades. Com muitos casos de psoríase se iniciando precocemente na vida, surge a importante questão sobre o risco de problemas adicionais que podem surgir devido à psoríase.

As pesquisas e estudos de casos compartilhados pela Dra. Cordoro destacam as formas únicas como as comorbidades podem se desenvolver em crianças – citando como exemplo a artrite psoriática (que muitas vezes se apresenta antes mesmo da condição da pele) e problemas de saúde mental, como a depressão (que pode acompanhar a psoríase em crianças de qualquer idade, mas geralmente se manifesta do final da infância ao início da adolescência).

Com as comorbidades psoriásicas se manifestando de forma diferente em crianças em comparação com adultos, os dermatologistas podem precisar ajustar suas expectativas e pressupostos em relação aos pacientes pediátricos com psoríase.

Comunicando-se com os pais

Pais e responsáveis podem não estar cientes de como as comorbidades podem se manifestar com a psoríase, e a intervenção precoce pode não estar em primeiro plano.

Sabendo que as comorbidades podem se apresentar mais cedo em pacientes pediátricos com psoríase, é importante discutir opções de triagem e recomendações com o responsável pela criança – sem excesso de tratamento.

“As comorbidades podem influenciar nossa decisão se estiverem presentes, mas nunca devemos usar o risco de comorbidades como um fator de medo para convencer um paciente a realizar um tratamento”, explica a Dra. Cordoro. “Não temos dados prospectivos que mostrem que tratar agressivamente uma criança, adolescente ou jovem adulto realmente reduz o risco [de comorbidades específicas] em 20 ou 30 anos. Biologicamente, é possível que isso aconteça, mas não temos esses dados”.

A Dra. Cordoro incentiva os dermatologistas a estarem cientes da linha tênue entre avaliar ou tratar comorbidades presentes e tratar agressivamente comorbidades que ainda não se manifestaram.

A Importância de Estudos de Caso e Pesquisas Futuras

Ainda há muito trabalho a ser feito para entender a psoríase pediátrica e seu impacto na vida dos jovens, mas uma maneira dos dermatologistas impulsionarem o avanço do campo é compartilhando e publicando estudos de caso.

“O que é realmente difícil de colocar por escrito é a arte da terapia e o raciocínio por trás de pacientes individuais”, explica a Dra. Cordoro. Em todo o mundo, diferentes tratamentos estão disponíveis, aprovados e recomendados. Ao compartilhar estudos de caso da vida real – como fez em uma apresentação recente com os membros do IPC – a Dra. Cordoro espera abrir a conversa sobre o que é possível e dar mais confiança aos dermatologistas ao abordar esses casos pediátricos de psoríase.

“Lembre-se de que seus relatos de casos são muito importantes quando há poucos dados para cenários muito raros”, diz ela. “É importante publicar sua experiência porque isso nos ajuda a descobrir como tratar as crianças.”

Além de compartilhar estudos de caso, a Dra. Cordoro também vê o campo mudando devido à natureza mutável dos ensaios clínicos, opções de tratamento e pesquisas disponíveis.

“Finalmente, os pacientes pediátricos estão sendo incluídos em ensaios clínicos. Quando comecei a praticar, nunca conseguíamos ter um paciente pediátrico em um ensaio clínico. Um medicamento tinha que ser aprovado para adultos, ser usado por muitos anos e talvez os pacientes pediátricos fossem incluídos nos ensaios clínicos porque era considerado antiético colocar uma criança em um ensaio”, compartilha a Dra. Cordoro. “Agora, estamos reconhecendo que era antiético excluir crianças dos ensaios e que precisamos parar de usar dados de adultos e extrapolá-los para crianças, porque os pacientes pediátricos são um grupo próprio.”

Embora nem todas as opções de tratamento estejam disponíveis em diferentes regiões do mundo, os dermatologistas têm uma variedade de opções para tratar a psoríase pediátrica, incluindo tratamentos “testados e comprovados”, como acitretina, metotrexato, ciclosporina e fototerapia; e tratamentos “novos e inovadores”, como agentes biológicos.

Através da pesquisa contínua de dermatologistas como a Dra. Cordoro e dos membros da equipe do Global Burden of Pediatric Psoriasis, juntos, podemos tratar e apoiar melhor as crianças com psoríase.

Categories

Recent Posts

IPC Joins IFPA to Mark the Tenth Anniversary of the World Health Assembly Resolution on Psoriasis

Focus on Psoriasis: A Report from the 2024 American Academy of Dermatology (AAD) Annual Meeting

Psoriasis in Older Patients: Epidemiology, Clinical Features, and Treatment Discussion

Also Read

Subscribe to the IPC Newsletter

Stay up-to-date on the latest research, news, and upcoming events right in your inbox.